segunda-feira, 14 de julho de 2008

Crianças autistas: desenvolvido em Israel tratamento revolucionário para bebés

Os especialistas recomendam a terapia a bebés e crianças até aos 3 anos e quanto antes melhor. "Temos um projecto especial para bebés porque não estabelecem contacto desde que são muito pequenas, desde o berço. É muito importante recordar que quanto mais pequena for a criança, mais favorável será o diagnóstico", disse Tâmara Betzalel, terapeuta do centro.
O tratamento feito nos bebés pode mudar-lhes a vida. "Descobrimos que quando se diagnostica e quando se tratam bebés, é possível mudar-lhes o destino. Os bebés autistas podem ser salvos (…) as pessoas julgam que as crianças autistas não querem contactar mas não é bem assim. Querem mas não sabem como faze-lo, 74% das crianças integraram-se em centros educativos normais", disse Hana Alonim, directora do centro.
Vinte por cento das crianças tratadas são filhas de estrangeiros que pagam 12 mil euros pelo tratamento. A percentagem de êxito tem sido de cerca de 80%.
"Havia situações nas quais tentava segurar-lhe a cabeça para que olhasse para mim mas ele baixava o olhar, nem sequer dizia "papá". Não me demonstrava nada de amor. Fazia tudo o que podia, esforçava-me imenso, mas a criança continuava no seu próprio mundo (…) Há dois dias, acordei de manhã e de repente senti que alguém me acariciava e me dizia: ‘papá, bom dia’. Era o meu filho Idan. É uma grande emoção. Não só olha para os meus olhos, mas também me dá beijos e abraços", disse o pai de Idan que levou o filho ao centro e já notou progressos.
Parte da terapia familiar decorre na piscina e procura despertar sentimentos e facilitar o contacto com os outros.



8 comentários:

Ana disse...

Este método já é utilizado no Porto, pelo menos desde de 2002 pela Dr.ª Noémia Coleta ( professora no Instituto Piaget de Vila Nova de Gaia.
Defendeu um trabalho de mestrado ( que aplica) designado: A Balneoterapia como processo terapêutico facilitador da relação Mãe-Filho no caso de crianças com Alterações do Espectro do Autismo.

JAS disse...

Agradeço a informação! Considero-a importante para todos,nós, que lidamos com alunos desta tipologia.

Anónimo disse...

É muito triste que a SIC vá a Israel para realizar uma reportagem sobre um trabalho que também é feito em vários centros de terapia em Portugal, com pessoas sérias e com longa experiência clínica nesta problemática! Os princípios referidos não são nenhuma novidade e o tratamento que referem não é inovador, pelo menos para a data actual. A única diferença é a intensividade (24 h/dia), diferença que muitas vezes por questões financeiras relacionadas com os pais portugueses e por opções terapêuticas também cientificas, não é possível. Centenas de pais portugueses procuram tratamento para os seus filhos e ao ver esta repostagem ficam a pensar que terão de ir para Israel ou em Portugal não têm resposta. pena que a SIC não tenha procurado epecialistas portugueses de várias clíicas, do Norte ao Sul para comentarem a situação. A reportagem assim, parece apenas publicidade...e má publicidade aos especialistas que trabalham com rigor, empenho, seriedade e sucesso em Portugal. E no meu caso, no Norte! Desculpem o desabafo...

jlp disse...

Estive em Israel com o meu filho e recomendo que quem vive este sufoco e tenha possibilidades financeiras não hesite. Não existe em Portugal nada que se compare porque todo o centro está 3 semanas dedicado exclusivamente a essa criança. Fiquei impressionado e o meu filho evoluiu bastante. Não digo que não existam pessoas a trabalhar bem em Portugal porque as há. Mas desconheço qualquer terapia semelhante em Portugal. Sublinho que é todo um centro a trabalhar a 100% para o nosso filho. Nunca imaginei ser possível.

Anónimo disse...

Só hoje tive conhecimento deste bloge, tenho pena que os portugueses não valorizem o que têm em Portugal. O comentario da Ana é verdadeiro. A Dr. Noémia Tem desenvolvido desde 2000 um trabalho intensivo com os pais das crianças com autismo, assim como a metodologia da Balneoterapia, que foi beneficiada pela DREN, até o ano de 2008,deixou de beneficiar esta terapia assim que o Dr. Jorge Barbosa saíu da DREN. Á mãe do menino que foi a Israel, digo que eu enquanto mãe , não necessito de sair de Portugal para encontrar bons profissionais para ajudar o meu filho. Há muito bons em Portugal, eu encontrei, é preciso procurar... uma mãe.

Móquina disse...

Gostaria de contactar com jlp. Somos uns pais, neste momento, muito preocupados. Já telefonamos para o centro Mifne e ficaram de nos cesder o vosso contacto caso lhes dessem autorização e se confirmasse o síndrome do nosso pequenino. Neste momento estamos a preparar filmagens do nosso menino de 17 meses e enviaremos o relatório da psicóloga e da pediatra que o viu.Gostariamos de ter mais informações sobre a vossa estadia e sobre como foram recebidos e acolhidos em Rosh Pina.
Espero que esteja bem com o vosso pequeno.
Se nos puderem ajudar-nos, enviem-me alguma informação para monisil@hotmail.com
Muito Obrigada.

Anónimo disse...

Não conheço o centro israelita nem vi nenhuma reportagem sobre ele. Mas é triste ver pessoas incomodadas com o facto de no estrangeiro existirem casos de sucesso. Em vez de se tentar aprender parece que já existem pessoas que tudo sabem.

Maria disse...

Agradecia que me indicassem os nomes dos centros portugueses com terapia intensiva que dure 21 dias sucessivos e onde nesse periodo apenas se dediquem a essa criança. Agradeço bastante a quem me indicar os nomes desses centros portugueses.